Marketing de conteúdo funciona?

By
Marketing de conteúdo funciona?
(Nota 5) 1 voto

Se clicou para ler esse post é porque ainda tem dúvidas sobre o tema do momento quando o assunto é vendas e comunicação. Sim, estamos falando de marketing de conteúdo. E você sabe do que se trata, talvez apenas não esteja se dando conta disso. Explico porquê: você já teve e tem contato com marketing de conteúdo o tempo todo! Afinal, trata-se de uma estratégia de marketing focada em produzir e distribuir informações relevantes para o público-alvo no momento em que ele mais precisa. Você é o público de muitas marcas e, certamente, já consumiu algum conteúdo delas sem se dar conta de que ele foi produzido com um único objetivo: marketing.

 

Não pense que o texto, o vídeo ou aquela foto que consumiu daquela marca X não era marketing porque não falava de produto. Marketing de Conteúdo é uma estratégia de marketing focada em conteúdo informativo mesmo (como artigos em um blog legal, ebooks para baixar e posts nas redes sociais) sem promover explicitamente a marca ou o produto. A ideia é ajudar de fato a pessoa a resolver seus problemas! 

 

Nesse momento talvez você esteja se perguntando a razão disso, ou como isso de fato funciona. Bem, quando uma empresa ajuda o consumidor sem pedir nada em troca, ela está criando autoridade no assunto e nutrindo uma relação de confiança com ele que, posteriormente, vai lembrar da empresa – quando precisar de fato daquele produto!

Indo direto ao ponto, o marketing de conteúdo é a estratégia de produzir conteúdos que auxiliem em todo processo de compra e atraia consumidores para você de forma natural, orgânica (sem anúncios), espontânea. E muitas marcas estão criando conteúdos super interessantes! Algumas inclusive são bem inovadoras, como uma beauty tech que cria não apenas um shampoo customizado, como também conteúdos super direcionados para as necessidades de cada pessoa.

Como fazer marketing de conteúdo

Em primeiro lugar, é preciso ter bem claro que a ideia é informar as pessoas sem vender nada a elas. Depois disso, é simples: basta planejar a criação de conteúdos variados com a seguinte ideia em mente: ajudar quem vai encontrar esse conteúdo, de forma que essa pessoa não só respeite a sua marca como e a tenha como referência para, quando for a hora, se tornar cliente do seu negócio.

 

Esta estratégia é uma forma de engajar seu público-alvo e aumentar sua rede de clientes sem a necessidade de impulsionar postagens no Instagram ou Facebook, Google Ads. Eles chegarão até você navegando normalmente pela Internet, buscando uma palavra-chave, rolando o feed de notícias. E o melhor: quando seu potencial consumidor encontrar aquele conteúdo, é muito provável que ele clique, leia, veja – simplesmente pelo fato de que não se trata de propaganda! 

 

Em um mundo cheio de estímulos para compras, as pessoas valorizam tudo aquilo que percebem que não foi pago para aparecer ali. O conteúdo orgânico (não pago) salta aos olhos dos consumidores da era digital. Por isso é tão importante ter em mente que o objetivo aqui é marketing sim, mas pura e simplesmente através de conteúdos informativos e editoriais e não publicitários. 

 

Fazendo um marketing de conteúdo bem feito, sua marca será respeitada e será vista como referência de mercado, dentro do nicho em que você atua! Ah, e antes que pense que esta estratégia é restrita ao universo online, pode parar. Embora hoje seja muito mais comum que ele aconteça em campo digital, o marketing de conteúdo foi muito utilizado antes de termos acesso à internet e pode continuar sendo – por exemplo, através de revistas com caráter informativo.

Você sabe o que é persona?

Seja no offline ou no online, uma coisa é certa: não adianta apenas aumentar as visitas do seu blog ou distribuir sua revista no aeroporto para milhares de pessoas. Você precisa aumentar o número de visitas qualificadas em seu blog / site e entregar a revista (ou o que quer que seja) a pessoas realmente interessadas em consumir aquele conteúdo. Mais do que isso: essas pessoas precisam ser potenciais clientes seus, terem interesse pelo assunto que seu negócio soluciona, estarem alinhadas com seu propósito.

 

Persona é isso: seu cliente ideal. Tudo bem, nem sempre você vai falar com seu cliente ideal, muito menos vender para ele. Mas pensar nele como um alvo é meio caminho andado para o sucesso. Qual a idade da pessoa que poderia / deveria comprar com você? O que essa pessoa faz? Como é a vida dela? O que mais importa na sua rotina? Preço para ela é problema, ou não importa se ela perceber o benefício que vem junto com seu produto ou serviço?

 

Se você não entender o seu cliente ideal quer, imagine entender o que os outros, que têm menos chance ainda de serem convencidos por você… Você pode até conseguir muitos cliques com aquele conteúdo sensacional ou uma foto atrativa, mas se o assunto não for realmente interessante para o público, a pessoa fechará a página pouco tempo depois de ter clicado em seu link. 

Isso quer dizer que não importa se o seu conteúdo está gerando 5 mil visitas em um dia. O que realmente é importante? A taxa de rejeição do seu site/blog ser baixa, mostrando que as pessoas ficaram mais de um minuto ali, uma prova de que o público se interessou o suficiente para consumir aquele conteúdo inteiro. Da mesma forma, não adianta ter um milhão de seguidores, eles precisam estar envolvidos com suas postagens, curtir, comentar, enviar dúvidas, compartilhar o que acharem legal.

O motivo disso é simples e explica todo o sentido do marketing de conteúdo: se a pessoa não quis ler o seu texto inteiro, as chances dela voltar para o seu site ou procurar sua marca um dia para comprar seu produto são maiores ou menores?

Leave a Comment

Your email address will not be published.

You may also like